terça-feira, 18 de agosto de 2009

Conta-me...

Poeta Poetisa
Não sei o que te faça.

Andas nas asas do vento,
A sonhar pelo mundo inteiro.
Pára aqui na minha janela
E conta-me novidades.

Vem cá e conta-me como é ser livre.
Conta-me como é sonhar sem limites, porque eu já esqueci.
Conta-me como é viver nas estrelas de dia e olhar para o sol à noite.
Conta-me como é viajar com os dedos e pintar sem rumo.
Conta-me como é ver apenas o céu e o horizonte, conta-me a que sabem as uvas lá de casa.
Conta-me como é construir castelos para as sereias irem lá dormir de noite.
Conta-me como é ser amigo de toda a gente.
Conta-me como é deixar os números para trás, esquecer as palavras e mergulhar na imaginação.
Conta-me como é a inocência...

Conta-me como é, porque eu já esqueci tudo.

SM**

3 comentários:

Pedaços de Tempo disse...

Conto-te sim, mas.. não com palavras. Essas, leva-as o vento. Conto-te, com uma fotografia do espelho da tua alma. Essa, ficará para a eternidade..
Gostei do teu "Conta-me". Parabéns!

Sandra disse...

conta-me só como é que consegues escrever tão bem :') uau*


ps. e o nosso blog nunca mais anda pra frente, somos cá umas desnaturadas, hehehe xD

beijinhos poetisa :)*

Raquel disse...

oh... tu n esqueceste! Contas-me? Tu podes... Eu nao sei se alguma vez soube ou ja me esqueci mas gostava de saber entrar na inocencia...