sexta-feira, 22 de abril de 2011

Anchor

Há momentos que vêm, tocam-nos ao de leve, provocam-nos um arrepio, um sorriso, um voltear. E depois desaparecem, sem deixar rasto, sem deixar memória. Pequenos pedaços de emoções com que vamos enchendo o nosso dia-a-dia, construindo uma realidade repleta de pequenos pormenores.
E depois há momentos excepcionais, que nos dilaceram até chegarem ao coração, se escondem lá dentro, bem fundo para que ninguém os consiga arrancar. Pequenas âncoras a que recorremos nos maus dias. Uma cura para a tristeza, uma chávena de cacau quente num dia frio, um pisotear de folhas de Outono, uma explosão de cores silvestres e alegrias de Verão. Um sorriso, um toque, uma frase. Pequenas memórias que não queremos largar por nada, que não deixamos ninguém agarrar. Pequenas memórias que se tornam no que nos move. No que, no fim de contas, acabamos por ser. Uma força pura que luta contra todos os obstáculos que aparecem, que não nos deixa parar.
E sabem que mais? Acabamos por vencer.

Mais tarde ou mais cedo. Vencemos sempre.

SM**Cap

1 comentário:

lía disse...

ás vezes é o que me dá mais vontade de fazer... desisitir :/
mas obrigada pela força*