terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Batalha

Batalha que não batalha
Porque é a vida é um floco de neve
Tão maravilhoso que quando piscamos os olhos já lá não está.

Batalha que não batalha
Nada temas, por nada pares
Não olhes para trás
Não vejas os meus olhos marejados.

Batalha que não batalha,
Porque preciso e sempre precisarei de ti.
Espera, não, não batalhes.
Leva-me contigo.
Deixa-me ser a tua espada.
Porque batalha que não batalha, com espada é sempre melhor.

Porque a vida é assim: fecha os olhos, e já é uma borboleta a fugir.

SM**Cappuccino (não me deixes fechar os olhos, não fujas)

4 comentários:

Luna Tic disse...

a vida é mesmo uma borboleta em todos os sentidos: fugidia, frágil... mas belíssima.

e não, não feches os olhos mesmo que tenhas sono... nunca se sabe quando outra borboleta nos vai passar mesmo à frente do nariz.

beijinho*

Sandra disse...

não vens mesmo =(((? oh fofiiii!

é verdade, é mesmo uma borboleta a fugir. por vezes daquelas que passa por nós e nós nem nos apercebemos! nao a deixes escapar :))))!

beijinhos**

Pedaços de Tempo disse...

Sem dúvida que a vida é uma borboleta ao sabor dos ventos... bela e frágil, voa bem perto da nossa frente e... tantas vezes nem dá-mos por ela...

Adorei esta tua (e nossa) batalha!

Bjs amiga,
CR/de

Sofia Carvalho disse...

..."Porque a vida é assim: fecha os olhos, e já é uma borboleta a fugir...." Lindo!
Agora há que saber aproveitar o momento em que se fecha os olhos;)
Beijinhos